Modos de ver

 

Com a deixa de uma crônica

Via meu perfil no Facebook

Sobre ter 40 anos

Escala optométrica de Snellen: Nos consultórios oftalmológicos, utilizada para mensurar acuidade visual

Nasci míope. Passei por todos os percalços pelos quais passa uma criança obrigada a usar óculos muito cedo. Aí, veio a adolescência. E com ela a descoberta do incremento que significava para a autoestima um bom par de lentes de contato. Seguia relativamente feliz, do alto de minha altíssima miopia, até virar os 40…

Agora, essa história de óculos para perto, óculos para perto com lentes de contato, óculos para longe, óculos escuros com grau, óculos escuros sem… E pensar que um dia fui a “introdutora oficial” de linhas nas agulhas de costura de minha avó. A pessoa que enxergou o ínfimo do ínfimo do ínfimo até uns 39… assim que saiu da casa dos 30, deixou de enxergá-lo.

E cirurgia para redução de miopia, apesar de cedo aventada, nunca me foi uma possibilidade (por complicadas questões éticas). Mas sendo muito franca, meus problemas de visão nunca me impediram de fazer nada (absolutamente nada), que eu, verdadeiramente, quisesse.


Mad Men

 

Humano, demasiado humano

 

.

Mad Men - HBO

Mad Men - HBO

Sequências finais do episódio 13 da sexta temporada


Não são poucas as razões pelas quais a figura ambígua de Don Draper fará falta.
Reunião com executivos da Hershey’s e Draper, o diretor de criação, já um tanto alcoolizado, irrompe em um daqueles acessos de franqueza, que nunca deixam pedra sobre pedra. E esse, como sabemos, acaba levando seus sócios na Sterling Cooper & Partners a “convidá-lo” a sair de férias.
Que destino aguarda o personagem, na sétima e última temporada da série, é o que também estou curiosa para saber. Mas não antes de amanhã, às 21h.

 

 

Game of Thrones

 

Uma penca de motivos para não ver

Do  meu perfil no Facebook

 

Veep

Em Veep, Julia Louis-Dreyfus é Selina Meyer : Vice-presidente dos EUA e rainha das gafes

 

Bem que eu tentei e, tão logo a série estreou na HBO, em 2011. Mas não há o que me faça gostar de Game of Thrones — nem mesmo a minuciosa produção ou a caprichada fotografia. Dos dragões de estimação às espadas desembainhadas a cada cinco minutos (ou às cabeças cortadas com e sem motivo), tudo ali contribui para me manter à distância. E, pelo que tenho ouvido e lido por aí, estou na contramão de um alardeado sucesso de público. Fazer o quê? Não gosto e #prontofalei. Na mesma HBO, tenho gostado de acompanhar Psi, que ontem entrou no quarto episódio, e espero lembrar de assistir à estreia da terceira temporada de Veep, logo mais, às 22h.

 

Foto: Divulgação | HBO