#TBTs em série

ANO II

Também direto do Instagram

carioca off-Momo cariocas atípicos Rio de Janeiro

Esse menino me representa. Explico. O período em que mais gostei de Carnaval foi na infância. Tenho ótimas lembranças de carnavais brincados com minha irmã, nos bailes vespertinos de clubes de Brasília e do Rio, sempre fantasiadas com esmero por minha mãe ou por minha avó. Da adolescência para cá, no entanto, meio que corroborando minha fama de carioca atípica, meu entusiasmo para a folia de Momo passou a variar bastante de ano a ano. Principalmente depois que voltei a morar no Rio, em 2008, houve carnavais em que me senti o garotinho nessa foto — feita num pré-carnavalesco na Cidade das Artes. A sensação de peixe fora d’água parece vir se avolumando desde que inventaram que o Carnaval tem que durar de três a cinco vezes mais do que aqueles 4 dias aos quais havíamos nos habituado.

Em 28 de janeiro …

Fora Collor geração caras pintadas Fora Bolsonaro corrupto Ele não ForaBolsonaro EleNão presidentes corruptos impichados impichado estudantes de Jornalismo caras-pintadas UFMS universidade federal do mato grosso do sul impedimento deposição presidente da República manifestação manifestações

#TBT nostálgico e, de certa forma, oportuno. Agora, que a palavra ‘impeachment‘ volta a andar nas cabeças, andar nas bocas. Inevitável lembrar de mim jovenzinha, estudante de Jornalismo, ao lado de amigos, colegas e professores, clamando pela deposição de um outro presidente da República, nas ruas de Campo Grande, Mato Grosso do Sul…

adolescentes estudantes secundaristascaras pintadas

É bem verdade que alguns de nossos contemporâneos não tinham muita noção do que estavam fazendo ali. Minha turma, entretanto, não tinha sombra de dúvida.
Algo daquele período de que também sinto falta é do quão mais combativa era a nossa indignação.

* * *

Alegria de carioca atípica

 

Se tudo indicava que não ficaria melhor

…eis que ficou

Praça General Tibúrcio e stand de infomações turísticas - por Adriana Paiva

Praia Vermelha, Urca: Quarta-feira, 7 de fevereiro * 9h04, 24°C

E tão agradável estava o clima nesse dia, que hesitei um bocado entre pegar uma bike na estação que fica ali mesmo, na praça, ou dar uma corrida na Pista Cláudio Coutinho. Quando decidi pela corrida, tinha começado a garoar.
Mas como alegria de carioca atípico dura pouco, no início do carnaval a temperatura voltou a beirar os 40°C, o esperado, afinal, para essa época do ano.

 

*
* * *

Brasília carnavalesca

Mais uma dos arquivos

 

Plano Piloto Asa Norte superquadras entrequadras Histórias de Bsb Brasília entrequadra Asa Sul Momo DF Carnaval imprensa jornalistas bloco carnavalesco Pacotão chega à W3 Sul - Jornalista Adriana Paiva brasilienses Imagem também publicada no Campus UnB

Why so serious? :  Bsb 90’s

De um Carnaval em que fui atrás do Pacotão, bloco fundado por jornalistas e um dos mais tradicionais de Brasília. A concentração acontecia em frente ao Bar do Chorão, próximo à quadra onde eu morava, na época.
No momento em que fiz a foto, devíamos estar nos aproximando do final do percurso, na W3 Sul. Creio que o ano era 1993.

Foto por Adriana Paiva © 

De marchas e de carnavais

 

Rio de Janeiro, 2014

.

Avenida Rio Branco

Avenida Rio Branco: Bloco de evangélicos

Não. Não se trata de um recorte da Marcha da Família com Deus e o retrocesso. Mas não fica muito longe disso. Esse foi um encontro de evangélicos da igreja Vida Nova, na Avenida Rio Branco, no começo de março, em plena terça-feira de carnaval. Com o desfile do chamado “Bloco Cara de Leão”, a igreja conseguiu reunir na avenida centenas de seguidores. Algo que, para minha também surpresa, já acontece há pelo menos 17 anos. Li um dos fundadores da Vida Nova, o pastor Ezequiel Teixeira, dizer em entrevista que a existência do “bloco evangelístico” não deve ser interpretada como apoio de sua igreja ao carnaval, já que essa é, em seu entender, uma festa “tremendamente maligna”. Afirmação que ganha contornos um pouco mais inquietantes quando se sabe que a ‘agremiação’ criada por ele, no final da década de 1990, apresenta-se deste modo, em sua página na Internet: ”Bloco Cara de Leão – Evangelismo estratégico”. Pois é também assim, travestida de iniciativa alegre e inofensiva, que esse tipo de manifestação ganha cada vez mais adesões. Medo. Em caixa alta, para que não restem dúvidas: MEDO.

 .  .  .  .

Meu carnaval também , aqui, e acolá.

 

Fotodiário: Carnarock

Rio, Segunda-feira, 11 de fevereiro

 

Bloco Cru

Freddie Mercury (re) vive: Foliões durante aquecimento do Bloco Cru

Hoje à tarde, segunda-feira de carnaval, na Praça XV. O afluxo de foliões em frente ao Paço Imperial já era intenso horas antes de ter início a apresentação da banda que acompanha o Bloco Cru. Uma pequena multidão, formada basicamente por jovens, se esbaldou ao som de hits como Freedom  (George Michael) e Seven Nation Army (The White Stripes).

 

 

De minha passagem pelo Nordeste

 

Updated


Dos Arquivos – via Facebook

 

Carnaval no Recife

Esta é da época da minha para lá de efêmera moradia em Olinda. Fotografei o seriíssimo rapaz portando máscara que reproduz casario do Recife Antigo, às vésperas do carnaval de 1997.

Creio que caiba dizer ainda : tão fugaz (e estranha) foi essa minha passagem pela cidade, que, às vezes, esqueço se nossa mudança de Brasília para lá aconteceu em junho ou julho de 1996. Enfim, mas a decisão de ir embora eu lembro bem: concretizou-se em março de 1997.

 

Foto por Adriana Paiva © 

“Bom pra cachorro”

 

Pra quem mesmo, cara pálida ?!

 

Da série Os mais absurdos press-releases

Acima, imagem da série In Dog We Trust, da artista visual Sandra Birke.

Das sugestões de pauta ensandecidas que vêm dar (e adernar) na minha caixa postal. O ‘subject’ desta — “Carnaval Bom Pra Cachorro” — já dava ideia de que alguma bizarrice viria pela frente. O texto: “Fevereiro é tempo para muito samba, marchinhas e animação. Um momento onde todos esquecem a etiqueta (blá-blá-blá) e saem fantasiados do que quiserem para curtir até três noites sem pensar no amanhã. A regra é ser feliz!“. E, mais adiante, com muitas fotos de cachorrinhos fantasiados – tão empertigados, que parecem de pelúcia -, informa-se que seus cães podem “curtir o carnaval com você” caracterizados como Bat-dog, Branca de Neve, enfermeira, etc.. E que, para tanto, basta acessar o site da maior loja de produtos para pets … do Bra-sil !
A acrescentar sobre isso : gente que trata bichos como bonecas, prontas para serem vestidas e enfeitadas, não merece ter um cão ou gato.

|| Postado no meu perfil, no Facebook.