Promessa de estação

 

Enquanto caem as águas de março

O outono começou em 20/3. Desde lá, contudo, em meio ao volume de chuvas e ao calor – incomuns para esta época do ano -, raros foram os dias tipicamente outonais. Os meteorologistas preveem que este quadro mude a partir da segunda quinzena de abril. Enquanto essa bênção não vem, um apanhado dos melhores momentos da estação…

Marina do Condomínio Novo Leblon

Sábado de regata na Lagoa de Marapendi: Vista da marina do Novo Leblon.

 

E do Instagram

fotos por Adriana Paiva

Aterro do Flamengo: A caminho do Santos Dumont com meu pai ao volante.

Entre Enseada de Botafogo e Aterro do Flamengo

Rua do Rosário: Entre visitas a exposições no centro da cidade. Sempre buscando uma brecha para espiar o céu.

Condomínio Novo Leblon

Novo Leblon:  Por do sol visto da varanda | Quinta-feira, 23 de março.

Esquina da Almirante BArroso

Mais cedo, naquela mesma quinta-feira (23/3), a caminho da Caixa Cultural.

* * *

A semana em imagens

 

Da Barra da Tijuca ao Centro

Cdade das Artes

Mostra “Ocupação Urbana”, na Cidade das Artes. Domingo, 29 de maio.
Realizada em parceria com a GaleRio, plataforma voltada à arte de rua e coordenada pelo Instituto Eixo Rio, a exposição reúne obras de 14 artistas e fica por lá até 30 de junho.

 

Via Instagram

 

SP

Vista da Igreja da Candelária a partir da Casa França-Brasil. Escala para almoço no Crepe Nouveau, antes de seguir para a Caixa Cultural.

SP

Deixando as dependências da Caixa Cultural, na quarta-feira, 25.
O que me levou até lá foi a edição 2016 do World Press Photo. Neste ano, a mostra itinerante de fotojornalismo, que reúne imagens premiadas em nove categorias, vai passar por 100 cidades de 45 países. Na Galeria 4 da Caixa até 19 de junho.

São Paulo

Quanto tempo transcorre, em média, entre a pessoa postar-se diante de uma obra de arte e sacar do celular para tirar fotos? Ultimamente, tenho me dedicado a observar esses movimentos. Aí, em visita à exposição ComCiência, da australiana Patrícia Piccinini. A mostra, que já passou pelo CCBB de Brasília e pelo de São Paulo, fica na unidade carioca até 27/6.

Lagoa de Marapendi
Final de tarde na marina do condomínio Novo Leblon: Observando o movimento na Lagoa de Marapendi.

 

* * *

Em meio às vicissitudes

 

Alegrias, aqui e ali

 

Mudança de idade, posse de um presidente interino, duas novas frentes frias… muita água rolou desde o meu último post. Até a etapa brasileira do Circuito Mundial de Surf  (o Oi Rio Pro 2016), acabou deixando a Praia do Grumari para, no sábado passado, voltar ao seu local de origem, o Postinho, onde vimos sagrar-se campeão o havaiano John John Florence.
Entre interrogações sobre uma conjuntura até há pouco inimaginada e um punhado de planos inevitavelmente refeitos, sigo encontrando motivos para tocar com alegria minhas atividades cotidianas. Daí que escolha para arrematar este post duas imagens publicadas no meu Instagram e que de certa forma ilustram com que ânimo venho tocando os meus dias.

 

MNBA Por Adriana Paiva

Praia da Barra, domingo, 15 de maio: Orla movimentada com a volta do Oi Rio Pro ao Postinho.

Paço Imperial Adriana Paiva

Paço Imperial: Lá fora, no pátio, a escultura em taipa de pilão, da paulistana Elisa Bracher, integra a mostra “Anatomia da Flor”, que fica em cartaz até 29 de maio.

 

***

 

 

Corredor cultural

 

Centro do Rio em PB

Setembro/Outubro – Via Instagram

Paço Imperial

Peça do escultor suíço Not Vital – e o coadjuvante inesperado | Paço Imperial.

Praça Mauá

Dos giros pela Praça Mauá. Para os turistas, o Museu do Amanhã como fundo. Para mim, a Ponte Rio-Niterói. Setembro de 2015.

Praça Mauá vista do MAR

Museu de Arte do Rio (MAR). Outubro, 2015.

Kurt Klagsbrunn

A foto da foto da foto da foto… Estendendo minhas horas no centro da cidade, com mais uma visita à mostra Kurt Klagsbrunn, um fotógrafo humanista no Rio (1940 – 1960). Tarde no #MAR.

MAR
Daquela mesma quarta-feira no #MAR. Exposição Ângulos da Notícia – 90 Anos de Fotojornalismo de O Globo.

Teatro Municipal

Do topo da escadaria do Teatro Municipal.

 

 

Rio em preto e branco

 

Via Instagram

 

Recortes de julho a setembro

 

Cidade das Artes - Barra da Tijuca

Cidade das Artes. Dia de “Interlocuções” na Sala de Leitura. Agosto, 2014.

 

.

Praia da Barra - Posto 5

Escala corriqueira ao longo do corredor cultural. Museu Nacional de Belas Artes. Registro de julho.

 

Barra - Posto 4

Pelas curvas do corredor cultural. Na esquina do CCBB e diante da Escola de Cinema Darcy Ribeiro.

Centro do Rio

Esquina da Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Registro de setembro.

Outono, até mais ver

 

Seleção | Instagram

Porque minha mais inspiradora estação se despede, ficam as notas de dias tipicamente outonais

Call me Helium

Passando pelo “corredor cultural”, dia desses. O balão no céu lembra que a mostra Call me Helium, colaboração artística entre Helio Oiticica e os irmãos Andreas e Thomas Valentin fica no Centro Cultural Correios até 13/7.

.

Praia da Barra - Posto 5

No Posto 5. Um raro sábado outonal a superar a mais otimista de minhas projeções.
Registro de 31 de maio.

Barra - Posto 4

A cada outono essa mesma vontade de me encontrar na imensidão | Praia da Barra, Posto 4.

Muro da Unirio

Enquanto segue vacilante o outono, outro dia, na Urca, os muros da Unirio disputavam minha atenção com um céu estonteantemente azul.

Descida da Niemeyer

Descendo a Niemeyer, em algum momento do início de abril…

Entre praias e museus, algo mais

:UPDATED :

Instagramadas do período

Casa França-Brasil

RIO : Recorte do prédio em estilo neoclássico projetado pelo arquiteto francês Grandjean de Montigny, na segunda década do século 19, e que teve muitas funções antes de passar a abrigar a Casa França-Brasil, a partir de 1990.

.

Do meu Instagram

BRASÍLIA: Entrada do Museu Nacional Honestino Guimarães, um projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer.

Luciana Whitaker e Clarice Falcão

Making of: Luciana Whitaker fotografa Clarice Falcão para a Revista da Cultura. Sairam dessa sessão as fotos que ilustram minha entrevista com a multiartista recifense radicada no Rio. Seu primeiro álbum de estúdio deve chegar às lojas entre abril e maio.

Praia do Pepê Barra da Tijuca

RIO, Barra da Tijuca : Outro cair de tarde na Praia do Pepê

Museu de Arte do Rio

 

Amanhã, terça-feira (5), MAR abre para visitação pública

 

Fotodiário: Aqui, registros feitos na quinta-feira passada (28/2), véspera da inauguração do museu, quando ocorreram a coletiva e a visita guiada para imprensa.

.

Segundo andar do pavilhão expositivo

Acima, no segundo andar do pavilhão expositivo: Entre as 136 obras provenientes da coleção do romeno Jean Boghici, quadros de Rubens Gerchman e Antonio Dias. A cenografia da mostra tem assinatura da dupla Daniela Thomas e Felipe Tassara.

.

Do meu Instagram

 

E do meu Instagram: No topo do museu, onde se vê bem a conexão entre os prédios de estilos arquitetônicos tão distintos: à direita, o Palacete Dom João VI, onde fica o pavilhão expositivo. Ao lado, o edifício que abriga a Escola do Olhar. E, mais acima, derramando-se sobre ambas as construções, uma grande onda — declaradamente inspirada nas curvas de Niemeyer.

 

Fotos por Adriana Paiva ©

 


Ainda turistas

 

Flanando pelo Centro do Rio

 

catedral Metropolitana do Rio de janeiro

Catedral Metropolitana: Um olho no personagem, outro na geometria

 

Quando cheguei à Caixa Cultural para ver a mostra de gravuras de Beatriz Milhazes, na manhã da quinta-feira (23), encontrei o local fechado e a entrada ocupada por manifestantes do MNLM (Movimento Nacional de Luta Pela Moradia). Mas não perdi a viagem. O centro da cidade, com seus contrastes e apelos multicores, sempre me exerceu fascínio. Daí que, saindo da Caixa, peguei o rumo do Largo da Carioca, espécie de palco para manifestações as mais diversas — de causas políticas à pregação de evangélicos. E de lá segui, passando pelos prédios da Petrobras e do BNDES, pelo Teatro Nelson Rodrigues e pela Catedral Metropolitana, onde fiquei por alguns minutos observando grupos de turistas que iam e vinham e onde encontrei, desgarrado do seu grupo, o senhor aí da foto.

 

 

 

Mas ela é carioca …

 

Das consequências de deixar de ser turista na própria cidade

 

Placas no entorno do Largo da Carioca

Explorações citadinas: Placas no entorno do Largo da Carioca

Agora, que no Rio tenho usado Metrô com uma certa regularidade, volta e meia esbarro nesse tipo de problema.
Outro dia, quis sair do Centro rumo à Tijuca e só fiquei sabendo que no mesmo lado da plataforma passavam trens com destinos diferentes quando já me dava por perdida em estação nada a ver com a pretendida.
Graças a um desses solícitos conterrâneos pude saber que a informação que me interessava encontrava-se num luminoso acima da porta dos trens. 
Imagine por que agruras não passam aqueles que dominam pouco mais que os rudimentos do nosso idioma.

É possível que eu ainda me perca assim por pautar-me pela época em que vinha passar férias na casa de meus avós, nos idos dos 90. Com menos linhas e trens era tudo, obviamente, mais simples para uma forasteira sazonal, como eu até há pouco tempo fui.