Queridos, esqueci de reativar o Twitter

Twitter da jornalista Adriana Paiva Net Claro Cora Rónai imprensa veículos jornalísticos engenharia PUC engenheiro software IFPedestrians

Twitter: Criei meu perfil em 2008. Nos últimos anos, vinha me tornando cada vez menos assídua.

 

Por volta de meados de abril, depois de vir usando o Twitter basicamente para ler sobre assuntos de meu interesse (às vezes, inclusive, sem logar), esqueci de reativar minha conta no site. A regra prevê que, após 30 dias, a conta desativada é automaticamente deletada.

Foi assim que eu, que criei meu perfil na rede há pouco mais de 13 anos (em abril de 2008, para ser exata), vi todo o conteúdo (entre tweets, seguidores, listas, fotos, etc.) se evaporar. No primeiro momento, me chateei por causa do vacilo. Tão logo me dei conta do esquecimento, escrevi ao suporte explicando o que ocorrera.

Nesse mesmo período, conversando com meu sobrinho (engenheiro de computação, trabalhando para outra rede social), ele me sugeriu insistir com o suporte. Criei, então, um perfil com o mesmo nome de minha conta original, mas não vi nada se modificar. Com tantos outros assuntos a me ocupar no momento, por ora, continuo deixando a questão para lá.

blog da jornalista Adriana Paiva

14/05/2018: Lembrança de aniversário. Um mês antes, eu completara 10 anos de rede social.

Twitter da jornalista Adriana Paiva  foto fotos tweet tweets tuíte ciclismo ciclistas

Sobre o Spotify

…e adesão a outras plataformas

  • Playlists novas e o período em escolhas musicais

Escolhas musicais por Adriana Paiva - Beck Jarvis Cocker

seleção musical por Adriana Paiva - Elvis Costello Marie Modiano Jarvis Cocker

 
*
 

Não sei se mais por desejo de simplificar as coisas ou por pretender alguma originalidade, já que tenho conta em inúmeras redes sociais, acabei adotando assinaturas diferentes em algumas delas: AdriPaiva, no Spotify; Drixpaiva, no Instagram, por exemplo.
Tenho dúvidas, hoje, se essa foi a escolha mais acertada, se eu não deveria ter usado sempre minha assinatura profissional. Lembro que, no Instagram, quando entrei, não havia ninguém usando Adriana Paiva. Mas também preciso admitir que, em abril de 2012, quando abri minha conta, eu não tinha lá um grande apreço pela plataforma – principalmente em função da perda na qualidade das imagens.
Digamos que essa mesma falta de entusiasmo tenha se dado quando entrei no Spotify. Eu via aquilo ali como mais uma opção lúdica, entre as muitas que já me entretinham. Para quem chegou a ser considerada ‘early adopter’ (sim, e fui, de fato), hoje estou inclinada a reconhecer que me faltou visão ao aderir a essas plataformas.

Descoberta curiosa: A pessoa que escolheu Adriana Paiva como nome de usuário no Spotify tem um gosto musical em nada semelhante ao meu.

* * *